Rádio Nova Esperança FM - Uma Nova Esperança Está No Ar!

Associação Nova Esperança
Malhada de Pedras completa 52 anos neste sábado com motivos para comemorar
  • Malhada de Pedras completa 52 anos neste sábado com motivos para comemorar

  • Postado em 11, jul 2014 por: Anderson Ferreira
Imagem parcial de Malhada de Pedras. No centro, a Praça Neli Aparecida, onde se concentra parte do comércio da cidade. O nome é uma homenagem à esposa do atual prefeito, Valdecir, a qual morreu em 2008.

Imagem parcial de Malhada de Pedras. No centro, a Praça Neli Aparecida, onde se concentra parte do comércio da cidade. O nome é uma homenagem à esposa do atual prefeito, Valdecir, a qual morreu em 2008.

Às véspera da final da Copa do Mundo no Brasil, o município de Malhada de Pedras, no sudoeste baiano, completa 52 anos de emancipação política. Uma história que ainda é construída, mas que já tem motivos para celebrar. A pequena cidade de quase nove mil habitantes viu muita coisa mudar em pouco mais de cinco décadas.

Durante todo esse tempo, o município cresceu; novos moradores chegaram; o comércio se desenvolveu e, hoje, é uma importante fonte de renda; sem falar na educação que, dentre outras razões, é a principal responsável pelo ingresso de muitos jovens ao ensino superior.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Malhada de Pedras é um dos municípios da Região Sudoeste que teve aumento populacional nos últimos 13 anos.  Moradora da cidade desde 2004, a psicóloga Andréia Feitosa, 35, trocou a agitação e a violência da capital paulista pelo ritmo pacato do interior. “Eu gosto da tranquilidade e do carisma do povo daqui, que é tão hospitaleiro, carinhoso e prestativo”, declara Feitosa.

Nascida no município, a funcionária pública Liberina Fernandes, 59, se lembra bem da infância que teve por aqui. “Quando era criança não tínhamos quase nada do que vemos hoje, mas foi um tempo muito bom. Nossa diversão era o Rio do Antônio e a estação de trem. No dia em que o trem passava, corríamos para a estação. Lá tinham as barracas de dona Libania, dona Euclida, dona Leonor, não se esquecendo de senhor Lolô com aquela barraca que vendia de tudo”, recorda, às gargalhadas, Fernandes, que reconhece a evolução da cidade, mas critica a falta de opções de lazer, atualmente.

Professora há 22 anos, Jane Eloar Santos não esconde o orgulho de ser malhadapedrense. “É meu pequeno pedaço de chão”, diz ela. Quando o assunto é educação, Santos tem motivospara comemorar nesses 52 anos de emancipação. “Tantos jovens daqui, hoje, preocupados em fazer uma faculdade, outros já até concluíram”, comenta a professora, que emenda: “E não posso esquecer que nós, professores, conquistamos o tão sonhado plano de carreira”.

Av. Catarino dos Santos Pereira. O nome é uma homenagem ao primeiro prefeito de Malhada de Pedras.

Av. Catarino dos Santos Pereira. O nome é uma homenagem ao primeiro prefeito de Malhada de Pedras.

O comerciante Edivan Ferreira, 34, começou aos 10 anos de idade a ajudar o pai no comércio. Com espírito empreendedor desde cedo, Ferreira deixou o trabalho com o pai, após 15 anos, e resolveu montar o próprio negócio em parceria com o irmão. “Anos atrás não existia padaria na cidade. Só tinha pão aos sábados, na feira, e nas quartas-feiras, quando vinha uma perua de Brumado vender aqui”, lembra o comerciante, que tem uma loja de utilidades domésticas. Para Ferreira, o movimento no comércio, agora, é maior e o número de lojas também, no entanto, o comerciante acredita que alguns setores comerciais, como o de calçados, ainda não se desenvolveram e ressalta que a presença de uma única agência bancária na cidade dificulta a vida de quem, muitas vezes, na pressa, precisa do serviço.

As 52 velas desse aniversário serão apagadas com força, por milhares de pessoas, acompanhadas de pedidos para todos os gostos. “Que tenhamos mais progresso e que busquemos viver mais o amor, a solidariedade, respeitar as escolhas de cada cidadão, tanto na política como na religião. Enfim, que nós, povo de Malhada de Pedras, sejamos mais humanos”, deseja Santos.

 

 

História

Início da Av. Leobino Guimarães, a principal via da cidade, onde também se concentra grande parte do comércio. O nome é uma homenagem ao ex-prefeito Leobino Guimarães, que governou a cidade por dois mandatos (1973-1976 e 1983-1988).

Início da Av. Leobino Guimarães, a principal via da cidade, onde também se concentra grande parte do comércio. O nome é uma homenagem ao ex-prefeito Leobino Guimarães, que governou a cidade por dois mandatos (1973-1976 e 1983-1988).

Há quase 100 anos, o território onde, hoje, é o município de Malhada de Pedras era formado apenas por três casas. Aqui residiam as famílias dos senhores Benedito José Bernardes Santos, José Rodrigues e João Ferreira. Tempos depois, os primeiros moradores doaram essas terras a várias famílias, o que contribuiu para o pregresso e, consequente, evolução da localidade.

Em 12 de julho de 1962, o povoado de Malhada de Pedras desmembrou-se da cidade de Brumado e tornou-se município, pela Lei Estadual nº 1710, projeto de autoria do então deputado estadual Oldack Neves. A origem do nome, segundo antigos moradores, deu-se em razão de existir na localidade grande quantidade de pedras, onde o gado malhado se reunia em lotes para dormir.

Desde a emancipação, nove prefeitos passaram pela administração municipal. O primeiro deles foi Catarino dos Santos Pereira, que morreu anos depois, após deixar a prefeitura. Atualmente, o município tem como prefeito Valdecir Alves Bezerra, Ceará (PT), que está no segundo mandato.

826 Total de visitas 3 Visitas hoje

Etiqueta(s): ,

Natural de Malhada de Pedras, é jornalista pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB) e pós-graduado em Comunicação e Marketing em Redes Sociais, pela Faculdade de Tecnologia e Ciências (FTC).



Voltar