Rádio Nova Esperança FM - Uma Nova Esperança Está No Ar!

Associação Nova Esperança
Pastoral da Criança acompanha crianças e gestantes, há 25 anos, em Malhada de Pedras, na Bahia
  • Pastoral da Criança acompanha crianças e gestantes, há 25 anos, em Malhada de Pedras, na Bahia

  • Postado em 06, dez 2017 por: Anderson Ferreira

Há 25 anos, gestantes e crianças de até seis anos são acompanhadas pela Pastoral da Criança, em Malhada de Pedras, na região sudoeste da Bahia. A ação social, realizada pela Igreja Católica, tem o objetivo de garantir às crianças o desenvolvimento esperado para a idade e às gestantes uma gravidez saudável.

Lucineide Pereira da Silva é líder há 25 anos na Comunidade Três Lagoas. Foto: Anderson Ferreira

Lucineide Pereira da Silva é líder há 25 anos na Comunidade Três Lagoas. Foto: Anderson Ferreira

Lucineide Pereira da Silva, 39, conhece bem esse trabalho. Ela mora na comunidade Três Lagoas, a 12 km da cidade, onde atua como líder da Pastoral da Criança, desde o início das atividades no município. Uma vez por mês, Lucineide tem o compromisso de visitar as famílias cadastradas da localidade e de outras duas comunidades, para verificar a situação de cada criança na casa. Um trabalho voluntário e feito com amor. “É uma missão de formiguinhas, mas a cada dia me vejo mais firme e forte, empenhada para levar informações às mães, conversar e dar conselhos”, afirma.

Um ano atrás, Lucineide foi diagnosticada com câncer de pele, mas não desistiu da missão. A distância entre uma casa e outra também não a impede de continuar o trabalho. Por causa da doença, ela realiza as visitas sempre no final da tarde. “No ano passado, após descobrir esse problema, nós fizemos uma missão em uma comunidade, onde ficamos o dia todo fazendo visitas. Graças a Deus, nesse dia, não teve sol, o que, para mim, foi um sinal. Desde então, estou mais confiante de que não devo parar e isso também me mostrou que Deus está nas pequenas coisas”, conta.

Terezinha Pereira Soares, 55, da comunidade Bastião, a 10 km do centro da cidade, está na Pastoral da Criança há quase 20 anos.  Ela começou como líder e, hoje, devido a problemas de saúde, faz parte da equipe de apoio. Ajuda a pesar as crianças na Celebração da Vida, que acontece sempre no último sábado do mês, e prepara o mingau de fubá, que é distribuído para os pequenos.

Na celebração da vida, os agentes da Pastoral distribuem um nutritivo mingau de fubá para as crianças. Foto: Anderson Ferreira

Na celebração da vida, os agentes da Pastoral distribuem um nutritivo mingau de fubá para as crianças. Foto: Anderson Ferreira

Segundo Terezinha, antes da pastoral, havia casos de crianças anêmicas e desnutridas na comunidade. Problemas que agora não existem por causa da formação que é passada para as famílias pelas agentes da pastoral. “Hoje, se a criança está com baixo peso, nós orientamos o soro caseiro e também a procurar o médico. Visitamos a família para uma conversa amiga e procuramos saber com o que a criança brinca e onde brinca e recomendamos também uma alimentação saudável com frutas e verduras”, diz.

Hoje, Terezinha não faz mais visitas às famílias, mas, pela experiência que tem no cuidado com as crianças, é muito querida pelas mães. “Elas já se acostumaram tanto comigo que sempre me pedem informações sobre algum remédio caseiro”, comenta. Conhecimento que ela adquiriu com a formação que sempre teve nesses anos de pastoral.

No setor de Lucineide, as mães reconhecem o trabalho da líder e a recebem com alegria em casa. “Elas nos veem como uma amiga que compartilha os momentos fáceis e difíceis da vida e ficam na expectativa pela nossa visita, para orientar, escutar e tirar suas dúvidas. A gente também percebe o brilho nos olhos das crianças quando chega para a visita”, comemora.

Na Comunidade Bastião, 29 crianças e uma gestante são atendidas pela pastoral atualmente. Foto: Anderson Ferreira

Na Comunidade Bastião, 29 crianças e uma gestante são atendidas pela pastoral atualmente. Foto: Anderson Ferreira

Edinalva Malta, 36, faz parte da coordenação da pastoral em Malhada de Pedras. Segundo ela, o acompanhamento nutricional das crianças é feito a cada três meses. “Nós verificamos o Índice de Massa Corporal (IMC), que relaciona peso, altura e idade. Após esse procedimento, os dados são jogados em um sistema da pastoral e, automaticamente, é indicado o diagnóstico. A família, então, recebe uma cartela com informações sobre a alimentação adequada para cada situação, como também incentivamos a prática de atividades físicas”, explica a coordenadora.

As gestantes também recebem, a cada mês, uma cartilha com as principais informações sobre o desenvolvimento do bebê, as alterações no corpo delas e incentivos ao pré-natal. A ação batizada de “Laços de Amor” tem o objetivo de motivar a autoestima da mãe e fazer com que ela acompanhe, mês a mês, o desenvolvimento do filho e tome os cuidados necessários com a gestação. “A gestante precisa entender como está o seu bebê naquele mês, para saber o que pode usar, o que comer, o que conversar com seu filho ainda no ventre. E essas informações estão na cartilha”, assegura a coordenadora Edinalva.

De acordo com a coordenação, 252 crianças e 16 gestantes são atendidas, atualmente, pela organização em todo o município de quase nove mil habitantes. Esse trabalho, que une serviço às famílias e evangelização, é realizado por 53 agentes.

Reginalva Silva Dantas tem quatro filhos e, atualmente, apenas a mais nova, de 1 ano e dois meses, é acompanhada pela Pastoral da Criança. Foto: Anderson Ferreira

Reginalva Silva Dantas tem quatro filhos e, atualmente, apenas a mais nova, de 1 ano e dois meses, é acompanhada pela Pastoral da Criança. Foto: Anderson Ferreira

Na casa de Reginalva Silva Dantas, 33, moradora do bairro Populares II, a Pastoral da Criança sempre esteve presente. Dos quatros filhos que tem, hoje, apenas a mais nova, de 1 ano e 2 meses, é acompanhada pela pastoral. “É uma experiência muito boa o que eles nos oferecem. Eu, por exemplo, tive problemas para amamentar o meu primeiro filho, que tem 14 anos, e a pastoral me orientou e estava sempre me acompanhando”, conta.

Além das visitas mensais que recebe em casa, Reginalva participa todos os meses da Celebração da Vida, um momento de encontro e confraternização entre as famílias cadastradas e de os líderes observarem, mais uma vez, o desenvolvimento das crianças. “Eu nunca deixo de participar e ainda passo para as outras mães a importância de terem seus filhos acompanhados pela pastoral”, diz Reginalva.

Cada informação sobre a criança e a gestante é importante para a pastoral e tudo é anotado no caderno do líder. Qualquer perda de peso ou problema de saúde é sinal de alerta. A mãe também recebe uma caderneta com as informações sobre a saúde do filho. Os dados de cada mês são encaminhados para a Coordenação Nacional da Pastoral da Criança, em Curitiba (PR), onde é feito o controle de todo o trabalho no município.

O estado do Paraná é o berço da Pastoral da Criança. Tudo começou na cidade de Florestópolis, em 1983, por inciativa da médica sanitarista e pediatra, Dra. Zilda Arns Neumann, que morreu em 2010, durante um terremoto, no Haiti, e pelo então Arcebispo de Londrina, Dom Geraldo Majella Agnelo. A organização já está presente em mais 11 países, levando vida e esperança, principalmente, para as famílias mais carentes.

Confira mais fotos e depoimentos sobre o trabalho da Pastoral da Criança em Malhada de Pedras.

120 Total de visitas 6 Visitas hoje

Natural de Malhada de Pedras, é jornalista pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB) e pós-graduado em Comunicação e Marketing em Redes Sociais, pela Faculdade de Tecnologia e Ciências (FTC).



Voltar