Rádio Nova Esperança FM - Uma Nova Esperança Está No Ar!

Associação Nova Esperança
Real faz 20 anos; antes dele, preço do tomate subiu 4.500% em 12 meses
  • Real faz 20 anos; antes dele, preço do tomate subiu 4.500% em 12 meses

  • Postado em 29, jun 2014 por: Nova Esperança FM 87.9

vale-o-real-hojeNa próxima semana, o real completa 20 anos. Em 1º de julho de 1994, a moeda passou a circular. O lançamento do real foi parte de um plano econômico desenvolvido para acabar com a hiperinflação, que chegou a 2.477,15% ao ano em 1993, de acordo com o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo). A título de comparação, os preços subiram 5,91% em 2013.

O Plano Real começou a ser elaborado em 1993, no governo do presidente Itamar Franco (1992-94). O então ministro da Fazenda, Fernando Henrique Cardoso, criou um grupo com André Lara Resende, Edmar Bacha, Gustavo Franco, Pedro Malan e Persio Arida para desenvolver o projeto.

No ápice da hiperinflação, os preços eram reajustados diariamente. O tomate, por exemplo, chegou a aumentar 4.492,25% em 1993. Em 2013, seu preço subiu 14,74%. Isso significa que a inflação em 1993 foi 304 vezes maior que em 2013. Se hoje houvesse a inflação de 93, um quilo de tomate que custa R$ 6,00 passaria a R$ 275,54 em um ano.

Por que o Plano Real deu certo?
O país teve outros planos econômicos antes do real. Em 1986, foi lançado o Plano Cruzado, para tentar controlar a inflação, que chegava a 215% ao ano em 1985. Em seguida, vieram os planos Bresser (1987), Verão (1989), Collor I (1990) e Collor II (1991). Os planos conseguiram derrubar a hiperinflação por um curto período, mas falharam ao final.

O ponto em comum desses planos foi o congelamento de preços. Essa foi também uma das razões de eles terem dado errado. O congelamento era anunciado do dia para noite, para tentar impedir que os vendedores subissem muito os preços antes que eles fossem congelados.

Como os preços não podiam subir, produtos começavam a faltar nos mercados. Os vendedores tiravam os produtos das prateleiras, pois não achavam justo o preço fixo a que eram obrigados a negociar. Nessas horas, ganhava força o mercado negro, no qual as mercadorias eram vendidas por um preço muito maior.

O Plano Real se diferenciou dos outros por introduzir medidas graduais e que foram anunciadas e esclarecidas com antecedência, de acordo com Otto Nogami, professor de economia dos programas de MBA do Insper ( Instituto de Ensino e Pesquisa).

O plano foi dividido em três fases. A primeira teve como objetivo ajustar as contas públicas, cortando despesas do governo e fazendo privatizações. A segunda etapa foi a implantação da URV (Unidade Real de Valor). O último estágio foi a transformação da URV no real.

Economistas apontam a criação da URV como o ponto chave para o sucesso do Plano Real. A URV não era uma moeda física, mas uma unidade de referência.

No dia em que entrou em uso, em 1º de março de 1994, 1 URV correspondia a CR$ 647,50 (cruzeiros reais). Esse valor era corrigido e anunciado pelo governo diariamente, com base na média entre três índices de inflação utilizados na época.

No segundo dia em uso, o valor de 1 URV passou a CR$ 657,50. Em 1º de julho de 1994, 1 URV passou a valer R$ 1, que correspondia a CR$ 2.750.

Contratos de aluguel, duplicatas, produtos e salários, por exemplo, eram fixados em URV. Na hora do pagamento, o valor em URV era transformado em cruzeiros reais, usando a cotação do dia.

Isso significa que mesmo que o preço não subisse em URV, ainda assim o valor estaria sendo corrigido diariamente. Se um quilo de frango custasse 1 URV, o vendedor receberia CR$ 647,50 em 1º de março, por exemplo, e um número maior de cruzeiros reais depois de uma semana.

Confira uma galeria com as cédulas de Real do país até hoje:

Fonte: UOL

324 Total de visitas 1 Visitas hoje

Etiqueta(s): ,

“O rádio é a escola dos que não têm escola, é o jornal de quem não sabe ler, é o mestre de quem não pode ir à escola, é o divertimento gratuito do pobre, é o animador de novas esperanças, o consolador dos enfermos e o guia dos sãos – desde que o realizem com espírito altruísta e elevado, pela cultura dos que vivem em nossa terra, pelo progresso do Brasil.” (Edgard Roquette Pinto)



Voltar